#2166

‘Jorge Amado – Uma Biografia’ [de Josélia Aguiar] colige as fontes do acervo, de arquivos e da família com entrevistas e rigorosa investigação histórica. […] Basta começar, vem a descrição do primogénito de Eulália e João, que nasceu em 1912 ‘com cara de turco’. Passar os olhos pelas origens, desde a mãe contadora de histórias que vivia ‘numa quase realidade paralela’ e a infância entre adultos ao colégio jesuíta […] [para aos 23 anos ser já considerado] um dos maiores escritores que o Brasil tem. […] ‘Em geral, meus personagens são figuras do povo e eu os conheço bem. […] Sou um homem sem grupos literários, sem mestres e sem discípulos. Em compensação, sou um escritor que vive e sustenta sua família com o que escreve. Creio que sou um escritor do qual o povo é amigo’, diz [Jorge Amado]. […] [Ao todo o autor publicou] quase 50 livros, editados em 80 países e 49 idiomas, além do braile. […] Não recebeu o Nobel, mas em 1994 foi distinguido com o Prémio Camões. Nessa atura vivia entre o apartamento em Paris e a Bahia, onde em 2001 o seu coração deixou de bater. O que vive dele [a sua obra], porém, não se extingue.

Luciana Leiderfarb, revista do semanário Expresso

resposta

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s